segunda-feira, 15 de junho de 2009

Instalado o GSlacky no Slackware 12.2.

Olá pessoal, esse é meu primeiro texto no blog e o segundo sobre Slackware que publico na internet. Em Agosto de 2007, publiquei um artigo sobre a instalação da distro no então recente notebook Acer Aspire 5100. O artigo pode ser conferido em http://br.geocities.com/vagner80.

Durante os anos de 2007 e 2008 eu testei duas distribuições do Gnome para o Slackware. Utilizei o Dropline Gnome e o Gnome SlackBuild (GSB).

Ambas funcionam bem, e na minha opinião, o Gnome SlackBuild leva vantagem por ser um menos intrusivo e vir com mais programas agregados do que o Dropline. As duas distribuições pecam pela falta de atualizações, pois elas não acompanham sequer o desenvolvimento regular do Slackware.

E esse foi o motivo que me fez escrever o artigo, pois acessei as páginas dos projetos para saber seus status e constatei que eles não possuem versões para o Slackware 12.2. Foi nesse momento que me lembrei do GSlacky, uma distribuição do Gnome empacotada pelo pessoal do Slacky, a comunidade italiana do Slackware. Lembrando que o GSlacky é descendente do GWARE, uma antiga distribuição do Gnome.

Baixar o pacote foi simples mas um pouco demorado por causa do meu link. Baixei a iso via BitTorrent usando um cliente qualquer. O arquivo .iso pode ser queimado em cd para efetuar a instalação, mas optei por montá-lo com o comando:

root@possante:~# mount -o loop /home/documentos/downloads/GSlacky-2.24.3-PulseAudio-i686.iso /mnt/gslacky/

A instalação é feita em modo texto e para iniciá-la, basta digitar o comando:

root@possante:/mnt/gslacky# ./install.sh

A partir de onde os arquivos se encontram. Na tela inicial é possível escolher o tipo de instalação: Full (Gnome + Extras), Basic (Gnome apenas), All Extra (Sem Gnome) e Remove all (para remover o Gnome do seu sistema). Eu escolhi a opção Full.

Após isso, começa a instalação dos pacotes. A instalação foi mais rápida que a do Dropline ou do GSB. Terminada a instalação, estava com o Gnome instalado e funcionando na máquina sem problemas.

Caso deseje remover o Gnome, basta executar o script novamente e escolher a opção de desinstalação.

Até a próxima.

2 comentários:

freakcoder disse...

Vagner,

Usei também o Dropline e Slackbuild. O Slackbuild era bem mais estável e menos intrusivo, removendo menos pacotes e não alterando a inicialização.

Legal o artigo, mas acho que não me sinto confortável com nenhum port do Gnome devido a pouca atividade destes projetos.

Abrs

Vagner Aparecido da Silva disse...

Olá freakcoder. Que bom que gostou do artigo. Quando eu usei o Dropline, eu tive problemas na remoção do mesmo. Me deu um pouco de trabalho pra acertar o Slack. Pra ser sincero, eu também não gostei 100% de nenhum port do Gnome. Por conta disso, acabei me acostumando ao KDE e hoje ele é o meu ambiente gráfico padrão.
Abraços.