segunda-feira, 15 de junho de 2009

Instalado o driver proprietário da ATI no Slackware 12.2

Boa noite pessoal. Neste pequeno texto, vou mostrar como instalar o driver proprietário da ATI (fglrx) no Slackware 12.2.

Primeiramente, é necessário identificar qual é a sua placa. Isso pode ser feito com o comando lspci. Basta executá-lo como root:

root@possante:~# lspci | grep -i vga
01:05.0 VGA compatible controller: ATI Technologies Inc RS482 [Radeon Xpress 200M]

O parâmetro | grep -i vga serve para exibir somente parte que interessa. Sem o parâmetro, o resultado será todos os dipositivos relacionados ao barramento PCI.

Para baixar o driver, basta acessar o site da ATI. Escolha a arquitetura da distribuição, em seguida o tipo de placa e por último o modelo. Dependendo do modelo, você será conduzido para a página contendo o driver atual que geralmente tem uma nova versão a cada mês ou será conduzido para a página dos drivers legados para placas que não terão mais atualizações de versão.

No caso da minha placa, cujo modelo comercial é Radeon Xpress 1100M, ela está na lista das placas de legado. Isso restringe as versões de download até a versão 9.3. É muito provável que não seja possível usar o driver proprietário no Slackware 13 com as placas descontinuadas. Isso não seria um grande problema se o driver radeon do X.org fornecesse aceleração 3d para todas.

O Slackware 12.2, não pode usar o driver sem recompilar o kernel, pois o driver depende de um item que vem desativado, Message Signaled Interrupts (MSI and MSI-X), que fica dentro de Bus options (PCI etc.) na configuração do kernel.

Antes de recompilar o kernel, é possível alterar a opção Local version - append to kernel release dentro de General Setup e colocar uma string diferente de -smp para criar um novo kernel recompilado e manter o kernel original intacto. Eu recomendo fortemente essa opção.

Com o kernel configurado, basta compilá-lo, depois recompilar os módulos e copiar o bzImage para o /boot.

No meu caso, usei o config que já vem com o Slackware

cd /usr/src/linux
cp .config .config.old
cp /boot/config-huge-smp-2.6.27.7-smp .config
make menuconfig

Após alterar, parâmetros, a compilação e instalação em si:

make
make modules_install
cp arch/x86/boot/bzImage /boot/vmlinuz-custom

Após todo o processo é necessário editar o lilo.conf e adicionar uma nova entrada para o vmlinuz-custom e depois atualizar o lilo

lilo

Reinicie o computador e se tudo correu bem, estamos prontos (finalmente) para instalar o driver.

Com o driver em mãos, vamos instalá-lo. O modo mais prático para instalar é criar os pacotes com os drivers. Isso facilita (e muito) a remoção para futuros upgrades ou eventual manutenção. Para instalar o driver digite:

root@possante:~# sh ati-driver-installer-9-3-x86.x86_64.run --buildpkg Slackware/All

Esse comando vai gerar dois pacotes:

fglrx-module-8.593-x86-1_kernel_2.6.27.7_smp.tgz - que contem o módulo de kernel para o kernel em uso e
fglrx-x710-8.593-x86-1.tgz - que contem o módulo do X.org.

Para instalá-los, basta digitar:

root@possante:~# installpkg fglrx*.tgz

Depois de instalado, ative o Control Panel para os usuários com o comando:

root@possante:~# chmod 755 /usr/bin/amdcccle

Após a instalação do driver é possível executar um aticonfig --initial para gerar uma configuração básica. Eu optei por configurar o xorg.conf manualmente. O meu xorg.conf pode ser obtido aqui. Depois de configurado, basta reiniciar o computador e desfrutar o driver proprietário sem maiores problemas.

Até a próxima.

Instalado o GSlacky no Slackware 12.2.

Olá pessoal, esse é meu primeiro texto no blog e o segundo sobre Slackware que publico na internet. Em Agosto de 2007, publiquei um artigo sobre a instalação da distro no então recente notebook Acer Aspire 5100. O artigo pode ser conferido em http://br.geocities.com/vagner80.

Durante os anos de 2007 e 2008 eu testei duas distribuições do Gnome para o Slackware. Utilizei o Dropline Gnome e o Gnome SlackBuild (GSB).

Ambas funcionam bem, e na minha opinião, o Gnome SlackBuild leva vantagem por ser um menos intrusivo e vir com mais programas agregados do que o Dropline. As duas distribuições pecam pela falta de atualizações, pois elas não acompanham sequer o desenvolvimento regular do Slackware.

E esse foi o motivo que me fez escrever o artigo, pois acessei as páginas dos projetos para saber seus status e constatei que eles não possuem versões para o Slackware 12.2. Foi nesse momento que me lembrei do GSlacky, uma distribuição do Gnome empacotada pelo pessoal do Slacky, a comunidade italiana do Slackware. Lembrando que o GSlacky é descendente do GWARE, uma antiga distribuição do Gnome.

Baixar o pacote foi simples mas um pouco demorado por causa do meu link. Baixei a iso via BitTorrent usando um cliente qualquer. O arquivo .iso pode ser queimado em cd para efetuar a instalação, mas optei por montá-lo com o comando:

root@possante:~# mount -o loop /home/documentos/downloads/GSlacky-2.24.3-PulseAudio-i686.iso /mnt/gslacky/

A instalação é feita em modo texto e para iniciá-la, basta digitar o comando:

root@possante:/mnt/gslacky# ./install.sh

A partir de onde os arquivos se encontram. Na tela inicial é possível escolher o tipo de instalação: Full (Gnome + Extras), Basic (Gnome apenas), All Extra (Sem Gnome) e Remove all (para remover o Gnome do seu sistema). Eu escolhi a opção Full.

Após isso, começa a instalação dos pacotes. A instalação foi mais rápida que a do Dropline ou do GSB. Terminada a instalação, estava com o Gnome instalado e funcionando na máquina sem problemas.

Caso deseje remover o Gnome, basta executar o script novamente e escolher a opção de desinstalação.

Até a próxima.